quarta-feira, 21 de março de 2018

NOVAS ARMAS INCRÍVEIS :



Funcionários Instituto da Vida do Futuro (Future of Life Institute), entre os quais há figuras famosas como Stephen Hawking e Ilon Mask, publicaram um vídeo incomum dedicado ao futuro infeliz, que espera por todos nós em breve. O vídeo, filmado no estilo documentário, nos lembra da arrepiante série de TV "The Black Mirror", cujos criadores regularmente contam aos espectadores o pesadelo que a vida pode transformar em alta tecnologia. Desta vez, os cientistas decidiram mostrar o quão minúsculos os drones assassinos, dotados de INTELIGENCIA ARTIFICIAL , com a ajuda de que intrusos serão capazes de matar quase qualquer pessoa onde e quando puderem, podem se tornar terríveis.
O vídeo foi primeiramente demonstrado aos visitantes do Encontro da Assembléia Geral das Nações Unidas sobre Armas Modernas, realizado em Genebra. Ele diz de uma forma crível como assustador a "arma inteligente" do futuro pode se tornar. Além disso, todas as tecnologias mostradas neste longa-metragem já existem hoje. Resta apenas miniaturizá-los um pouco mais e juntá-los. O tema principal do vídeo eram minúsculos drones, capazes de calcular suas vítimas com alta precisão e literalmente bater em suas cabeças, explodindo ao mesmo tempo. Os drones mantêm um pequeno enxame, rastreiam a vítima, se necessário, fazem buracos nas janelas para entrar na sala, bem como muito, muito mais.


De acordo com a trama, os drones assassinos podem servir tanto a governos de diferentes países quanto a terroristas, que podem facilmente interceptar o controle sobre eles. O público é mostrado como, com a ajuda desses pequenos assassinos, é possível cometer uma tentativa de política ou em questão de segundos para matar vários estudantes universitários em sala de aula, onde nem todos estão destinados a serem salvos. Os funcionários do Instituto da Vida do Futuro têm certeza de que, a partir desses "assassinatos pontuais", você e eu estamos separados por anos. E então ninguém será protegido de repente aparecer em sua testa um pequeno buraco da explosão dirigida. Sugerimos que você avalie este curta filme de sete minutos agora mesmo. O principal, não se esqueça que hoje tudo isso ainda é apenas ficção científica, e não uma dura realidade.
noticias  

quinta-feira, 15 de março de 2018

Panasonic demonstrou uma TV OLED transparente.



No âmbito da exposição internacional IFA 2017, a fabricante de eletrônicos japonesa Panasonic, pela primeira vez, demonstrou ao público um protótipo de uma TV transparente com matriz OLED. Os próprios japoneses chamam essa tecnologia de "vidro inteligente". Embora seja difícil imaginar exatamente onde é possível usar esses paines , é provável que observá-los, séries de televisão e filmes. No entanto, os especialistas têm certeza de que no futuro eles podem ser integrados em móveis inteligentes, vários eletrodomésticos e também usados ​​como decorações de interiores.
A resolução da tela de TV transparente é de 3840 por 2160 pixels, o que equivale ao padrão Ultra HD. O dispositivo possui todas as funções de um centro multimídia de pleno direito, com a capacidade de acessar a Internet, ouvir música e também reconhecer comandos de voz. No stand de exposições da Panasonic, a TV demonstrou uma versão de demonstração bonita e, no dispositivo, havia uma tela adicional exibindo diferentes animações. Atrás da tela também foram organizadas duas pirâmides de vidro transparente para que os visitantes pudessem apreciar a transparência do painel.

O robô-giroscópio estará à venda nesta primavera.






Um mini-giro e muito charmoso robot Gyrocomputer Loomo da Segway tem sua própria página no Indiegogo e promete sair à venda nesta primavera - o embarque dos primeiros lotes está planejado para maio de 2018.
Loomo não é um giroscópio comum, é um robô de pleno direito trabalhando em uma plataforma de AI. Você pode montá-lo, mas não é sua única função. Ele é capaz de responder aos comandos, ele pode reconhecer rostos, silhuetas e sabe o comando "para mim", então, se você está cansado de dirigir, você pode ir a pé, tendo ordenado que o Loomo continue e siga você mesmo. Os desenvolvedores de software colaboraram com os criadores do piloto automático para BMW, então o robogiroscourter também pode "estacionar" sozinho.
O garoto pode andar a velocidades de até 10 quilômetros por hora e será útil para realizar várias tarefas. Por exemplo, você pode fazê-lo funcionar como um folheto ou um player de vídeo.
Como a maioria das coisas "inteligentes", a Loomo tem sua própria aplicação, que permite usar um smartphone para mover um robô, estabelecendo uma rota para ele, observando o mundo com seus olhos, frases de voz inseridas na aplicação, monitorando pessoas e ainda atirar fotos e vídeos usando um robô. Além disso, os desenvolvedores informam que lançarão um SDK separado para o Android, para que todos possam fornecer ao robô com novos recursos e truques, e, ao mesmo tempo, apertar habilidades de programação.
Por enquanto, a Loomo pode ser comprada por 1299 dólares - tanto pagará por "pássaros adiantados", que conseguiram comprar robôs do primeiro lote. Para todos os outros, o preço começará em US $ 1.799.

Cientistas russos criaram um asteroide e o destruíram com um laser.


Todos nos lembramos do filme "Armageddon" com Bruce Willis no papel principal, onde um grupo de pessoas salvou heroicamente a Terra da destruição, destruindo um meteorito que a ameaçava. Desde então (e antes disso), muitas pessoas estão pensando: "E se uma tal ameaça realmente acontecer?". E para simular uma situação semelhante, um grupo de cientistas russos criou um asteróide em miniatura e o destruiu com a ajuda de tecnologias terrestres disponíveis.
O estudo é um grupo de cientistas russos de Rosatom e seus colegas do Instituto de Física e Tecnologia de Moscou (MIPT). Para suas experiências, a equipe de pesquisa desenvolveu uma tecnologia para a fabricação de um modelo de asteróides. Foi feito com base na conhecida composição de meteoritos pedregosos. As propriedades do modelo de asteróide foram responsáveis ​​pela composição química, densidade, porosidade e rigidez da estrutura. Como uma arma contra asteróides, foram utilizados 3 dispositivos a laser: Iskra-5, Luch e Saturno. Seu raio laser foi modificado de acordo com as dimensões, mas durante os experimentos foi corrigido para o conjunto de energia para este modelo, e então foi direcionado para a réplica de asteróides fixada na câmara de vácuo. Durante os experimentos, o laser atingiu asteróides em um tempo que não excedia 30 nanosegundos.
Mas os cientistas não pararam ali: para avaliar o sucesso da destruição, eles usaram os dados obtidos após a queda do meteorito de Chelyabinsk. Então, depois de entrar na atmosfera, quebrou em pequenas partículas que não causaram muito dano. A escala das partículas destruídas do asteróide experimental não excedeu o tamanho de partícula do "colega Chelyabinsk".
"Se um asteróide de 200 metros for dividido em pedaços com um diâmetro de 10 vezes e pesando 1000 vezes menos do que o próprio asteróide, os fragmentos resultantes não serão perigosos. No entanto, esta conclusão é válida apenas para um asteróide de 200 metros que entra na atmosfera. Mas nós, no entanto, conseguimos provar que um pulso laser curto dirigido ao asteróide causa efeitos destrutivos, como uma explosão nuclear no próprio corpo cósmico ".




segunda-feira, 12 de março de 2018

Computadores quânticos sérios estão prontos para o trabalho. Do que eles são capazes?






Em um pequeno laboratório em um campo exuberante a cem quilômetros ao norte de Nova York, uma complexa confusão de tubos e eletrônicos penduram do teto. É um computador, mesmo que seja promíscuo. E este não é o computador mais comum. Talvez sua família esteja escrita para se tornar uma das mais importantes da história. Os computadores quânticos prometem fazer cálculos muito além do alcance de qualquer supercomputador convencional. Eles podem produzir revoluções no campo da criação de novos materiais, permitindo simular o comportamento da matéria até o nível atômico. Eles podem trazer criptografia e segurança do computador para um novo nível, pirateando os códigos impenetráveis ​​até hoje. Existe mesmo a esperança de que eles tragam a inteligência artificial a um novo nível, ajudem-no a peneirar e processar os dados de forma mais eficaz.
E só agora, depois de décadas de progresso gradual, os cientistas finalmente se aproximaram da criação de computadores quânticos poderosos o suficiente para fazer o que os computadores comuns não podem fazer. Este marco é lindamente chamado de "superioridade quântica". A mudança para este marco é liderada pelo Google, seguido pela Intel e pela Microsoft. Entre eles: start-ups bem financiadas: Rigetti Computing, IonQ, Quantum Circuits e outros.
E, no entanto, ninguém pode comparar com a IBM nesta área. Há 50 anos, a empresa alcançou sucesso no campo da ciência dos materiais, que lançou as bases para a revolução do computador. Então, em outubro passado, a MIT Technology Review foi para o Thomas Watson Research Center da IBM para responder a pergunta: de que maneira um computador quântico será bom? É possível construir um computador quântico prático e confiável?

Por que precisamos de um computador quântico?

Este centro de pesquisa, localizado em Yorktown Heights, é um pouco como um disco voador, como era pretendido em 1961. Foi projetado pelo arquiteto neo-futurista Eero Saarinen e foi construído durante o auge da IBM como o criador do grande mainframe para empresas. A IBM foi a maior empresa de informática do mundo e, durante dez anos de construção do centro de pesquisa, tornou-se a quinta maior empresa do mundo, logo após a Ford e a General Electric.
Embora os corredores do edifício olhem para a aldeia, o design é tal que, em nenhum dos escritórios lá dentro, há janelas. Em um desses quartos, Charles Bennet foi descoberto.Agora ele tem 70 anos, ele tem big whiskers brancos, ele usa meias pretas com sandálias e até mesmo uma bolsa de lápis com alças. Rodeado por velhos monitores de computador, modelos químicos e, inesperadamente, uma pequena bola de discoteca, ele lembrou o nascimento da computação quântica como se fosse ontem.
Quando Bennett se juntou à IBM em 1972, a física quântica já tinha meio século de idade, mas os cálculos ainda dependiam da física clássica e da teoria matemática para obter informações que Claude Shannon desenvolveu no MIT na década de 1950. Foi Shannon quem determinou a quantidade de informação pelo número de "bits" (ele popularizou este termo, mas não o inventou) necessário para seu armazenamento. Esses bits, 0 e 1 código binário, constituíram a base para cálculos tradicionais.
Um ano depois de chegar a Yorktown Heights, Bennett ajudou a estabelecer as bases para a teoria da informação quântica, que desafiou a anterior. Ele usa o comportamento estranho de objetos em escalas atômicas. Em tal escala, uma partícula pode existir na "superposição" de um conjunto de estados (isto é, em um conjunto de posições) simultaneamente. Duas partículas também podem "tornar-se enredadas", de modo que uma mudança no estado de um responde instantaneamente ao segundo.
Bennett e outros perceberam que alguns tipos de cálculos que levam muito tempo ou não são possíveis podem ser efetivamente realizados usando fenômenos quânticos. Um computador quântico armazena informações em bits quânticos ou qubits. Qubits pode existir em superposições de uns e zeros (1 e 0), e confusão e interferência podem ser usadas para encontrar soluções computacionais em um grande número de estados. A comparação de computadores quânticos e clássicos não é inteiramente correta, mas, figurativamente falando, um computador quântico com várias centenas de qubits pode produzir mais cálculos ao invés de átomos em um universo conhecido.
No verão de 1981, a IBM e o MIT organizaram um evento histórico chamado "A Primeira Conferência sobre Física Computacional". Foi realizada no hotel Endicott House, uma mansão de estilo francês perto do MIT do campus.
Na foto que Bennett realizou durante a conferência, no gramado, pode-se ver algumas das figuras mais influentes da história da computação e física quântica, incluindo Konrad Zuse, que desenvolveu o primeiro computador programável, e Richard Feynman, que contribuiu de forma importante para a teoria quântica. Feynman manteve um discurso chave na conferência, na qual ele levantou a idéia de usar efeitos quânticos para cálculos.
A maior teoria quântica do impulso da informação recebida de Feynman ", diz Bennett. "Ele disse: a natureza do quantum, sua mãe! Se quisermos imitá-lo, precisamos de um computador quântico. "
Um computador quântico IBM - um dos mais promissores de todos os existentes - está localizado ao longo do corredor do escritório de Bennett. Esta máquina é projetada para criar e manipular um elemento importante de um computador quântico: os qubits que armazenam informações.

A diferença entre sonho e realidade

A máquina IBM usa fenômenos quânticos que ocorrem em materiais supercondutores. Por exemplo, às vezes a corrente flui no sentido horário e anti-horário simultaneamente. O computador IBM usa chips supercondutores, nos quais dois estados de energia eletromagnética diferentes são qubit.
A abordagem supercondutora tem muitas vantagens. O hardware pode ser criado usando métodos bem conhecidos e você pode usar um computador comum para gerenciar o sistema. Os qubits no esquema supercondutor são facilmente manipulados e menos delicados do que os fótons ou íons individuais.
No laboratório quântico da IBM, os engenheiros estão trabalhando em uma versão de um computador com 50 qubits. Você pode executar um simulador de um computador quântico simples em um computador comum, mas com 50 qubits será quase impossível. E isso significa que a IBM aborda teoricamente o ponto em que um computador quântico pode resolver problemas que não são acessíveis para um computador clássico: em outras palavras, superioridade quântica
Mas os cientistas da IBM dirão que a superioridade quântica é um conceito evasivo. Você precisará que todos os qubits 50 funcionem perfeitamente quando, na realidade, os computadores quânticos sofrem muito com erros. Também é incrivelmente difícil manter qubits por um determinado período de tempo; eles tendem a "decoerenciar", isto é, à perda de sua delicada natureza quântica, como um anel de fumaça dissolve-se ao menor golpe da brisa. E quanto mais qubits, mais difícil é lidar com ambas as tarefas.
"Se você tivesse 50 ou 100 qubits e eles realmente funcionaram bem o suficiente, e estavam completamente livres de erros, você poderia produzir cálculos incompreensíveis que não podiam ser reproduzidos em qualquer máquina clássica, nem agora nem então, nem no futuro ", diz Robert Shelkopf, professor da Universidade de Yale e fundador dos Quantum Circuits. "O reverso da computação quântica reside no fato de que existe uma incrível quantidade de oportunidades de erro".
Outro motivo de cautela é que não é inteiramente claro o quão útil será, mesmo um computador quântico de funcionamento ideal. Não só acelerar a solução de qualquer tarefa que você joga. Na verdade, em muitos tipos de cálculos, será incomumente "mais burro" do que as máquinas clássicas. Nem muitos algoritmos foram determinados até à data, em que um computador quântico terá uma vantagem óbvia. E mesmo com eles, essa vantagem pode ser de curta duração. O algoritmo quântico mais famoso, desenvolvido por Peter Shore do MIT, é projetado para procurar multiplicadores inteiros simples. Muitos esquemas criptográficos bem conhecidos contam com o fato de que esta pesquisa é extremamente difícil de implementar um computador convencional. Mas a criptografia pode se adaptar e criar novos tipos de código que não dependem do factoring.
É por isso que, mesmo quando se aproxima de um marco de 50 kilobits, os próprios pesquisadores da IBM estão tentando dissipar o hype. Na mesa do corredor, que tem vista para um exuberante gramado lá fora, fica Jay Gambetta, um alto australiano explorando algoritmos quânticos e potenciais aplicações para equipamentos da IBM. "Estamos em uma posição única", ele diz, escolhendo cuidadosamente as palavras. "Nós temos esse dispositivo, que é o mais difícil que pode ser modelado em um computador clássico, mas ainda não é controlado com precisão suficiente para realizar algoritmos conhecidos através dele".
O que dá a todos os aybiemshchikam espero que mesmo um computador quântico imperfeito possa ser útil.
Gambetta e outros pesquisadores começaram com um apêndice que Feynman havia previsto em 1981. As reações químicas e as propriedades dos materiais são determinadas pelas interações entre átomos e moléculas. Essas interações são regidas por fenômenos quânticos. Um computador quântico pode (pelo menos em teoria) modelá-los de uma maneira que o comum não pode.
No ano passado, Gambetta e seus colegas da IBM usaram uma máquina de sete kilobits para modelar a estrutura exata do hidreto de berílio. Composto por apenas três átomos, esta molécula é a mais complexa de todas, que foram modeladas usando um sistema quântico.Em última análise, os cientistas serão capazes de usar computadores quânticos para projetar células solares eficientes, drogas ou catalisadores que convertem a luz solar em combustível limpo.
Esses objetivos, é claro, ainda estão implacavelmente distantes. Mas, como Gambetta diz, já podem ser obtidos resultados valiosos de trabalhar em um par de computadores quânticos e clássicos.

O que para um físico de sonhos, para um engenheiro um pesadelo

"A sensação é empurrada pela percepção de que a computação quântica é real", diz Isaac Chuan, professor do MIT. "Não é um físico de sonhos - é o pesadelo de um engenheiro".
Chuan liderou o desenvolvimento dos primeiros computadores quânticos, trabalhando na IBM em Almaden, Califórnia, no final dos anos 90 e início dos anos 2000. Embora ele não trabalhe mais para eles, ele também acredita que estamos no início de algo muito grande e que a computação quântica, em última análise, desempenhará um papel mesmo no desenvolvimento da inteligência artificial.
Ele também suspeita que a revolução não começará até que uma nova geração de estudantes e hackers comecem a jogar com máquinas práticas. Os computadores quânticos requerem não apenas outras linguagens de programação, mas também uma maneira fundamentalmente diferente de pensar sobre a programação. Como Gambetta diz, "nós realmente não sabemos o que é equivalente a" Olá mundo "em um computador quântico".
Mas começamos a olhar. Em 2016, a IBM conectou um pequeno computador quântico com uma nuvem. Usando a ferramenta de programação QISKit, você pode executar programas simples; milhares de pessoas, de acadêmicos para alunos, já criaram programas em QISKit que processam algoritmos quânticos simples. Agora, o Google e outras empresas também estão tentando trazer computadores quânticos on-line. Eles não são capazes de muito, mas eles dão às pessoas a oportunidade de experimentar o que é a computação quântica.

A China está desenvolvendo uma nave espacial reutilizável.




A China está desenvolvendo uma nave espacial reutilizável projetada para realizar uma variedade de tarefas, incluindo militares - ataques de veículos espaciais estrangeiros, estações espaciais e até mesmo a interceptação de mísseis balísticos. Além disso, um avião espacial reutilizável pode ser usado para transportar pessoas e carga em órbita. Ao mesmo tempo, o seu lançamento e pouso pode ser realizado a partir de qualquer aeroporto convencional, de acordo com o canal de notícias chinês CCTV.
"Ao contrário de mísseis que exigem um procedimento de processamento complexo, o avião espacial pode fazer uma verdadeira revolução no campo do transporte espacial", disse Zhang Hongwen, presidente da China Aerospace Science and Industry Corporation (CASIC), responsável pelo desenvolvimento.
Apesar de o projeto estar em um estágio inicial, os especialistas observam que o avião espacial pode ser usado como um veículo para a entrega de turistas espaciais a órbita, o lançamento de satélites, o fornecimento de estações orbitais e o fornecimento de operações de resgate.
"Ele também pode ser usado como uma nave espacial militar equipada com dispositivos de detecção e ataque contra naves espaciais estrangeiras, satélites e estações espaciais", disse o especialista militar e comentador de TV Son Zhongpyin ao Global Times.
Além disso, o filho adicionou, o dispositivo pode ser usado para interceptar mísseis balísticos e hits de pontos de ataque em alvos terrestres.
No relatório da CCTV, os jornalistas disseram que o complexo consistirá em duas partes: uma aeronave transportadora "mãe" e o próprio avião espacial. O meio será não tripulado e usado para dispersar o plano espacial, após o qual ele irá separar e usar sua própria unidade de energia. Depois de completar a missão, o avião espacial retornará à Terra e aterrará como uma aeronave comum.
Alguns especialistas estrangeiros observam que a China atualmente não possui as tecnologias necessárias para criar um complexo tão complexo. Em primeiro lugar, estamos falando de motores: tanto para o avião espacial quanto para a aeronave transportadora.Obviamente, nenhum dos motores disponíveis na China atualmente atende aos requisitos do projeto.
No entanto, um dos especialistas militares, que pediu para permanecer anônimo, disse ao Global Times que a tecnologia de um motor de jato de ar híbrido usando combustível de hidrogênio líquido estará no centro da usina da aeronave transportadora. Em tal motor, o oxigênio, retirado da atmosfera, entrará no estado líquido e alimentará uma usina com um par de hidrogênio líquido. Em teoria, esse sistema nos permitirá desenvolver uma velocidade que é até 22 vezes mais rápida do que a velocidade do som, proporcionando aceleração suficiente para que a nave espacial seja lançada no espaço. Equipado com este motor, a aeronave transportadora, disse que a fonte, será muito difícil interceptar os atuais sistemas de defesa aérea.
O projeto para o desenvolvimento deste sistema é chamado de "Tengyun", e pela primeira vez se tornou conhecido em 2016. Naquela época, o vice-presidente da CASIC Corporation, Liu Shijiang, disse que o sistema estará pronto para o vôo em 2030.

Rumores: a PlayStation 5 já está em desenvolvimento. Os criadores dos jogos recebem o primeiro kit de desenvolvimento




Na verdade, falar sobre o fato de a Sony estar desenvolvendo uma nova geração de consoles, são conduzidos em vários fóruns de jogos como um ano inteiro. A verdade é, na verdade, ainda não está claro sobre o qual esses rumores se baseiam. O ciclo de vida do console está chegando ao fim? Ou a empresa está desapontada com a venda contra um concorrente? No momento, o prefixo Xbox One X da Microsoft, que entrou em venda em novembro passado, é o dispositivo de jogos mais poderoso do mundo (a menos que, é claro, você conta com computadores pessoais). Mas é realmente tão bom que fez a Sony se apressar a desenvolver o PlayStation 5? E com pressa?
Com o lançamento do Xbox One, a Microsoft apostou na universalidade e começou a equipar vigorosamente o primeiro console com um controlador Kinect, razão pela qual o sistema custou US $ 100 mais do que o concorrente representado pela PS4. E o último foi ainda mais poderoso, apesar da arquitetura similar como um todo. Como resultado, a PS4 mostrou um início nítido e ganhou alta popularidade no contexto de vendas modestas do Xbox One. O lançamento do Xbox One S não corrigiu a situação. Toda a esperança foi colocada no Xbox One X, que, como já mencionado acima, é o console de jogos mais poderoso do nosso tempo.
Segundo os analistas, até 2021, a Microsoft poderá vender 17 milhões de Xbox One X, e o número total de consoles vendidos dessa família será de cerca de 63 milhões. Isso assusta a Sony? Dificilmente. A Microsoft, como você sabe, os números de vendas reais para a linha Xbox One não gosta de compartilhar, então essa informação deve ser coletada em amarguras. No entanto, em novembro passado, ficou sabendo que o número total de consoles vendidos da empresa Redmond era de cerca de 36,2 milhões de unidades. No final de dezembro do mesmo ano, a Sony tem mais do dobro. A empresa japonesa informou que 73,6 milhões de consoles da família PlayStation 4 foram vendidos em todo o mundo. Em outras palavras, tudo pode justificar a transição para o desenvolvimento de um novo console de jogos, mas não apenas as vendas de um set-top box. O que então?
O ciclo de vida do console. Com este pulo de gerações, mesmo dentro dos limites de uma linha (PS4, PS4 Slim, PS4 Pro, Xbox One, Xbox One S, Xbox One X), você provavelmente nem sequer notou como quase 5 anos se passaram desde o anúncio da geração atual de consoles. A PlayStation 4, lembramos, foi anunciada em novembro de 2013. Sete anos após o anúncio da PlayStation 3. Já é março de 2018, por isso não é de admirar que os rumores sobre o desenvolvimento de uma nova geração de consoles aparecerão com um crescente nível de regularidade.
Um desses rumores recentes é a informação privilegiada de Marcus Sellar, conhecida nos círculos de jogos e com o status de fonte autorizada. Através de sua página no Twitter, ele informou que o console de jogos da Sony PlayStation 5, ou melhor, seu kit de desenvolvimento inicial, já foi criado e está sendo enviado para todos os principais desenvolvedores de jogos, de modo que eles sejam supostamente familiarizados com as especificações técnicas mínimas e, possivelmente, até começou a criar jogos para um novo set-top box.